segunda-feira, dezembro 18, 2006

Xô Caô

Estou percebendo algumas emanações do tipo "olho-gordo". Como estamos no fim do ano resolvi fazer uma defumação, limpezinha, no blog. Então aqui vai...

Filha Da Véia
(Luíz Américo e Braguinha)
Sou filha da véia ô

E eu não pego nada
A véia têm força, ô
Na encruzilhada
Não bati mais meu carro
Tem sempre uma grana e homem de montão
Tô sempre coberta dos pés à cabeça
Nêgo me encosta cai duro no chão
Com sete pitada da sua cachimba
Marafa e dendê
Um banho de arruda todinho cruzado
Na minha horta só tem que chover
Quem quizer que acredite
Ou então deixe de acreditar
A força que ela me deu
Só ela é quem pode tirar
Venço e não sou vencida
Aqui neste reino e em qualquer lugar
Os zóio de inveja de boi mandigueiro
A véia levou pro fundo do mar.

2 comentários:

Devaneios em Série disse...

tratei de internalizar essa 'mandinga'! ultimamente ando preocupado com o atraso dos acontecimentos bons...mas o último foi ótimo! Parabéns :) Te amo!

Mila disse...

Mt saudade!!! Bjão!